domingo, 23 de dezembro de 2007

Para que todos que assitem a alva, para aqueles que a mantém em suas mentes. Viva, útil e gloriosa, recado postado em poucas palavras, estou dispondo de aderências igualmente fúteis e talvez até precise de alguém a me proteger, mas, por enquanto, desejo viver livre das paixões mundanas, carnais e absurdas. Não quero acordar, olhar para o relógio e saber que meu tempo está indo com a curva do tempo.

2 comentários:

Barbie Destrossada disse...

a 'curva do tempo' é uma lâmina bem afiada!Eu que o diga!

Beijos e afagos fraternos.

Maria Helena disse...

O tempo é implacável.
Faz bem em não se entregar à loucas paixões.

Saudades de encontrar almas assim.