segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Longe Demais

Observei-a com cautela e fascínio. Ela andava meio desnorteada por causa do peso na mochila. Estava exuberando charme. Era como se uma "doçura" a envolvesse totalmente...
Marie tinha quatro aninhos e se comportava como uma mocinha, pronta para encarar a adolescência (aquela fase conturbada que muitos acreditam ser a pior!), quando ela, de repente parou e me encarou.
Desarmei-me. Não sabia como reagir. Ela estava radiante! Os cabelos amarelinhos, olhos verdes e a boca pintada de vermelho. Tão nova e já tão vaidosa! Segurei sua mão e perguntei-lhe:
- Que houve, Marie? Por quê paramos?
- Mamãe, é verdade que as pessoas quando crescem se tornam más?
Aquela pergunta me surpreendeu. Tal pergunta não faria sentido, saído da boca de uma menina de quatro anos. Mas respondí-lhe da maneira como poderia:
- Não, Marie, não é verdade. As pessoas se tornam más por vários motivos, e geralmente não só quando crescem. Se um pai ou uma mãe abandona uma criança, há chances dessa criança se tornar indiferente quando crescer, ou mesmo quando criança...
- Então, mamãe, acho melhor a senhora me mudar de colégio, por que aprendi isso lá. A professora se acha melhor que todos lá, mamãe, isso é feio, não é?
- É sim, Marie, e também acho que é melhor você estudar em um outro lugar.

Fiquei pensnando no que Marie me disse sobre sua professora, e percebi que existem pessoas ensinando desgraças aos alunos de idade entre quatro e cinco anos. O egoísmo e o orgulho torna as pessoas tão frágeis que são capazes de não passar ensinamentos úteis.
Pessoas com essa "incapacidade" deveriam afastar de pequeninos, que, por sinal, são mais sábios que nós, e nos transmitem idéias cativantes. Enquanto mais velhos, talvez por sua ignorância ou saliência pela sabedoria, acabam transtornando e prejudicando mentes ainda em desenvolvimento na infância.

2 comentários:

Maria Helena disse...

Minha filha me dá lições iguais sempre! Incrível como as cabeças massivas agem sobre nossos pequenos...me dão medo!
E nojo!

Beijos!

Barbie Destrossada disse...

Pessoas assim também me enojam!Enojam todos que tenham um mínimo de conciência!
Penso em minha pequena Bárbara e todos os pequenos que possam ter o desprazer(e a angústia) de encontrar tais seres inúteis.