sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Isso não é texto de auto-ajuda, muito menos filosofia de vida!

Propositadamente falando, estamos em base, compondo uma massa encefálica de métodos absolutamente simplórios. Não seria a primeira vez que tento esclarecer minhas idéias, com o intuito de ser simplesmente ouvida, não necessariamente questionada. Vivemos em constante filosofia sobre isto ou aquilo, e o martírio do cotidiano afeta nossas esferas materiais, cujos denominados são mente e corpo físico. Quanto ao corpo interior, aquele que se deleita para aclamar um pouco de anestesia corpórea material se mantém mais que ocupado ao insistir em fazê-lo, nem ao menos percebemos sua indiferença. O corpo inteiror é aquele que busca fazer com que o corpo material se realize e, no entanto, o "material" termina agindo de forma tão meticulosa, misturando os pensamentos de forma agressiva e inimaginária. Usando o termo "corpo interior", talvez esteja você se perguntando: "Por que ela não usa o termo 'espírito'? Convém muito mais." A solução para sua pergunta é: Nem todos acreditam que realmente o espírito venha a fazer parte de nossa massa encefálica e consciente. Ele entreva, dado momento, fazendo com que o sujeito siga as instruções, talvez de seus genitores ou de uma comunidade em geral. Mas, seguindo os ensinamentos de alguém a quem muito estimo, talvez até esteja presente comigo em todos os momentos, talvez seja ele meu mentor, ente muito amado, acredito que se a palavra conseguinte não for levada adiante de uma maneira próspera, não verei um futuro esperado.
Lei da Natureza: Pra muitos significa "Cadeia Alimentar", "Nasce, cresce, reproduz e morre", termos tão pejorativos e insignes que teria até certo receio em citá-los. Lei da Natureza, entretanto, a meu ver, são objetivos recriados em um processo tão delicado, analisados de tal maneira que o homem não teria a intenção de prejudiciar-se ao longo de seu acontecimento. Lei da Natureza seria também a Lei da Ação e Reação, por que não? Já que pra estar em constante contato com a sociedade é preciso estudar suas maneiras de apropiação. E ninguém vive, permenentemente, solitário! É incapaz. Dizem-se até possíveis viverem sem desabafos ou com quem compartilhar doses exageradas de emoções, mas sempre existem aqueles "corpos interiores" simpatizantes. Mirando o final de um breve discurso, acreditando que posso ser meramente agradecida pela oportunidade e pela indulgência, tenho que citar um prejudicial mentor de seu corpo físico. Grande frase conhecida por muitos que cortejam as Leis da Natureza: "Fora da caridade não há salvação." De certa forma, acredito que essas palavras, poucas, inclusive, e de autoria do Sr. espírita Allan Kardec, encerra meu prolongado atrofiado de palavras, com a intenção de manter a Paz, se é que ainda existam seres que têm esse mesmo próposito.
Paz para todos.

Um comentário:

Barbie Destrossada disse...

O corpo interno ainda me gera dúvidas e confusões!
Texto simplesmente maravilhoso e longe da simploriedade!
p.s.:relacionei teu blog ao meu.